Justiça determina medidas para controle de coral invasor no litoral do Rio

A Vértice Ambiental a partir de agora irá trabalhar com conjunto com a BV OFFSHORE em apoio a todas ações de regularização e Licenças Ambientais para que a BV OFFSHORE representada pela TECNODIVER atuando com projetos desafiadores desde sua fundação no ano de 1990, provendo soluções eficientes de engenharia submarina muitas vezes inovadoras nas suas operações marítimas. Sediada em RIO DAS OSTRAS, atua intensamente no mercado ONSHORE e OFFSHORE.

PROJETO DE COMBATE E PREVENÇÃO AO CORAL SOL NA COSTA BRASILEIRA

Originárias do oceano pacífico, as espécies exóticas Tubastraea coccínea e Tubastraea tagusensis, popularmente conhecidas como coral-sol, chegaram a costa brasileira fixadas em navios e plataformas petrolíferas vindas do exterior. Em primeiro momento, a espécie encanta devido a sua beleza exótica, com cores vivas e vibrantes, causando a ilusão de ser inofensivo.

No entanto, estamos diante de um terrível predador da vida marinha, uma vez que a espécie disputa espaço junto aos corais nativos colocando-os em risco, como é o caso do coral cérebro, coral raro nativo brasileiro. Além do mais, o coral-sol libera uma toxina que impede a desova dos peixes, alterando a cadeia alimentar e consequentemente a pesca, prejudicando drasticamente a sobrevivência daqueles que dependem do pescado para seu sustento.

A espécie tem mais facilidade e mais velocidade de reprodução quando comparada aos nossos corais, sendo uma disputa desleal com os corais nativos (também conhecida como “guerra dos clones”). A diversidade dos corais nativos é um atrativo mundial para a vinda de turistas de todo o mundo. Se não controlada, a reprodução e a permanência dos citados corais exóticos no oceano brasileiro, o turismo também sofrerá uma queda considerável, causando prejuízos na economia local. Tendo em vista tamanha problemática acerca do tema e a importância de uma breve solução para o fato, buscamos um plano imediato a fim de proporcionar um ambiente favorável para a vida marinha se recuperar dos danos causados até então. Não existindo ainda consenso em como controlar o fato, fez-se imprescindível a realização de um projeto a fim de prevenir sua proliferação e combater os focos já existentes.

Utilizando-se de pesquisas, testes, aplicação de novos métodos recentes já existentes no mercado e contando com o apoio de petrolíferas, portos e estaleiros, governos e empresas de navegação em geral, buscamos assim, o combate à espécie invasora da forma mais eficaz e urgente, conforme a situação exige.

OBJETIVOS

Inspecionar e averiguar a presença de colônias existentes em todo litoral brasileiro. Atualmente, estudos mostram que a espécie foi detectada em 5 estados brasileiros, Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia, Espirito Santo e Sergipe. Porém já existem relatosextraoficiais de mergulhadores terem avistado o coral-sol em outros estadosda Federação.

LAUDOS

Após levantamento técnico, os biólogos envolvidos, devem emitir laudo contemplando, idade, densidade, grau de incidência, dimensão das áreas atingidas e elaborar o projeto e cronograma para a execução e início das remoções.

REMOÇÃO: Após tal cronograma, dividir a execução em áreas e remover as colônias da região escolhida para start, respeitando os parâmetros de biossegurança que a situação exige.

CONTENÇÃO E MANEJO

A urgência de medidas, faz-se necessária a fim de conter o avanço da espécie para que a mesma não atinja santuários ecológicos como, ABROLHOS E FERNANDO DE NORONHA. Realizar pesquisas sobre controle de reprodução e manuseio de coral sol, (manejo), sem causar danos ao meio; Monitoramento das áreas por 12 meses ou mais se necessário, a fim de garantir que nas mesmas não haja surgimento de novas colônias

DESTINAÇÃO DE RESÍDUO

Instalar aterro sanitário com finalidade de reciclagem do lixo orgânico e mineral originário das incrustações uma vez que se trata de material orgânico e calcário de magnésio (adubo natural).

EDUCAÇÃO

Promover conhecimento social acerca da gravidade do problema e da importância de medidas urgentes para resolução da problemática. Quando possível, com a participação da população, pescadores, artesãos etc.

FISCALIZAÇÃO SOCIAL

Fiscalizar e cobrar o cumprimento de medidas de controle de incrustação exótica de operadoras de petróleo conforme o PLANO NACIONAL DE COMBATE E CONTROLE AO CORAL- SOL, publicado pelo Ibama .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *